Um algoritmo para caçar trolls on-line

Algum tempo atrás, explicamos que não alimente o 'troll' ... embora, pelo bem da humanidade, talvez devêssemos fazê-lo. Mas vamos aceitar que os trolls geralmente são um incômodo, alguns mais que outros (piscadela, piscadela, cotovelo, cotovelo).

Para combatê-los, desenvolveu um algoritmo que os detecta desenvolvido por Justin Cheng e seus colegas da Universidade de Stanford.

Para conceber o algoritmo, eles monitoraram anteriormente o comportamento de usuários bloqueados em três páginas de tráfego pesado: CNN.com, o provedor de notícias políticas Breibart.com e o site de videogame IGN.com. Ao comparar suas mensagens com as de outras postagens não ofensivas, eles descobriram que sua legibilidade (medida com um teste chamado Índice de Legibilidade Automatizada) era mais fraca e, além disso, a qualidade piorava com o tempo.

Um total de 1,7 milhão de usuários e 40 milhões de mensagens foram analisados ​​em 18 meses. Finalmente, os pesquisadores concluíram que o estilo dos trolls é perfeitamente previsível e, portanto, eles poderiam desmascarar instantaneamente entre o quinto e o décimo post.

Ainda assim, os desenvolvedores temem os "falsos positivos" e acusar um usuário normal de troll. Portanto, a intervenção humana continua sendo decisiva para, pelo menos, gerenciar a decisão final ao excluir o comentário do troll ou bloqueá-lo diretamente. Somente dessa maneira as maneiras podem ser preservadas na Internet e favorecem a troca saudável de boas idéias, sem comprometer a liberdade de expressão.

A razão pela qual existem tantos trolls no mundo online e muito menos no mundo offline se deve ao que os psicólogos chamam de efeito da desinibição online. Esse efeito é semelhante ao produzido em grandes multidões, manifestações ou multidões: a individualidade é diluída, o anonimato aparece ... e restrições normais de vida são deixadas para trás. Na Internet, todos somos nomes em uma tela: não há interação real, sem aparência, sem gestos, sem inflexões de voz.

Apesar de tudo, devemos lembrar uma máxima toda vez que lidamos com um troll: O tratamento vexatório geralmente desacredita o próprio comentarista, não aquele a quem a pulla é direcionada. Além disso, ao se tornar perogrullesco, não insulta quem quer, mas quem pode. E se o troll é tão pesado que dificulta substancialmente a conversa: bloqueie. E largo é Castilla.

Imagens | Pixabay