Bater em uma criança a torna agressiva?

Mais de 160.000 crianças foram estudadas por 50 anos nesta metanálise conduzida por pesquisadores das universidades do Texas em Austin e Michigan. E a conclusão, publicada recentemente na revista Revista de Psicologia da Família, É o seguinte:

Bater nas crianças para corrigir seu comportamento, ou seja, punição física, aumenta a probabilidade de que eles acabem desafiando seus pais e experimentar comportamento anti-social, desenvolver agressividade, problemas de saúde mental e até dificuldades cognitivas.

O castigo físico pode ser avaliado como um chicote na bunda, nas pernas ou nos braços. É o tipo de punição avaliada, ou seja, as punições físicas mais agressivas ou graves foram excluídas. Como ele explica Elizabeth Gershoff, professor associado de Desenvolvimento Humano e Ciências da Família na Universidade do Texas em Austin:

Nossa análise se concentra no que a maioria dos americanos reconheceria como surra, e não no comportamento potencialmente abusivo. Descobrimos que o chicote estava associado a resultados prejudiciais e inesperados e, no entanto, não estava associado a uma maior conformidade imediata ou a longo prazo (dos padrões dos pais), que é o que os pais esperam quando decidem disciplinar seus filhos.

Em Xataka, a ciência não é a primeira vez que afirmamos que a letra com sangue NÃO entra.
Imagem | Gotcredit