Reaja à cobra antes de vê-la: a reação automática ao medo

Em um conhecido experimento conduzido por pesquisadores da Universidade de Uppsala, na Suécia, uma série de imagens voluntárias de cobras e aranhas foram expostas. No entanto, essas imagens apareceram na tela apenas por um tempo inferior a trigésimo de segundo.

Para registrar conscientemente uma imagem, precisamos de aproximadamente meio segundo. No entanto, esses voluntários experimentaram sudorese nas palmas das mãos. Eles reagiram com medo, embora não tivessem consciência de ter visto o que lhes causava medo e inquietação.

Esse experimento, então, destaca como nossa atenção distingue algo e alerta rapidamente as partes do cérebro que canalizam respostas antes que a mente consciente termine o aviso.

O que este experimento também demonstra é a solidez da teoria da preparação do condicionamento clássico proposto por Seligman (1970, 1971), que tem sido amplamente aplicada nos últimos 40 anos para explicar a natureza e a "fonte" do medo e fobias humanas.
Imagem | LongitudeLatitude