Já sabemos como converter as emissões de dióxido de carbono em combustível?

Uma equipe de cientistas da Universidade de Toronto sugere ter encontrado uma maneira de converter todos emissões de dióxido de carbono, responsável pelo efeito estufa, em combustíveis ricos em energia em um ciclo neutro em carbono que utiliza um recurso natural muito abundante: o silício.

O silício é o sétimo elemento mais abundante no universo e o segundo elemento mais abundante na crosta terrestre. Especificamente, como lemos em seu estudo publicado na Nature Communications, o elemento chave para esse processo são alguns nanocristais de silício.

O elemento chave

Crédito: Chenxi Qian

A idéia de converter as emissões de dióxido de carbono em energia não é nova: houve uma corrida mundial para descobrir um material que possa converter luz solar, dióxido de carbono, água ou hidrogênio em energia. De acordo com Geoffrey Ozin, Professor de Química da Universidade de Toronto e diretor da Escola de Artes e Ciências da Universidade de Toronto:

Uma solução química para as mudanças climáticas requer um material altamente ativo e um catalisador seletivo que permita a conversão de dióxido de carbono em combustível. Também deve ser feito de materiais baratos, não tóxicos e disponíveis.

Os nanocristais de silício têm um diâmetro médio de 3,5 nanômetros e uma área de superfície e força de absorção óptica suficientes para aproveitar com eficiência os comprimentos de onda no infravermelho próximo, a luz visível e o ultravioleta do sol. Ele converte o dióxido de carbono gasoso em monóxido de carbono gasoso.

O resultado potencial é o de là produção de energia sem emissões prejudiciais ao meio ambiente. Se os testes de laboratório forem bem-sucedidos, em breve poderemos ter uma refinaria solar.