Magma resfriado a 840 graus: foi assim que a espetacular Calçada dos Gigantes se formou

Na Irlanda do Norte, no condado de Antrim, onde está localizada uma das formações basálticas mais incomuns do mundo. Eles a chamam de Calçada dos Gigantes.

Os geocientistas determinaram a temperatura na qual o magma frio rachou para criar formações geométricas de rochas basálticas tão espetaculares como esta.

Temperatura

Em um estudo publicado na Nature Communications, pesquisadores e estudantes da Faculdade de Ciências Ambientais da Universidade conduziram uma investigação para descobrir quão quentes eram as rochas quando se abriram para formar esses passos espetaculares.

Eles mostraram que as rochas fraturam quando esfriam entre 90 e 140 ° C abaixo da temperatura na qual o magma cristaliza em uma rocha, o que é aproximadamente 980 ° C para basaltos. Isso significa que as articulações colunares expostas nas rochas basálticas, como observado na Calçada dos Gigantes e na Pilha de Demônios (EUA), entre outras, eles formaram em torno de 840-890 ° C.

Em alguns pontos do Calçada dos Gigantes as colunas atingem 12 metros de altura e o acúmulo de lava solidificada excede 28 metros. As superfícies das colunas, como os degraus, levam do pé do penhasco a desaparecer no fundo do mar.

A sensação de que é um caminho artificial é acentuada pelo arranjo exato das rochas e suas formas hexagonais, embora também existam rochas com cinco, sete ou oito lados. Dá a impressão de que são paralelepípedos gigantes fabricados em série para pavimentar o chão. Das alturas, parece a grade de uma colméia.

Ter uma forma hexagonal é porque o hexágono é o polígono mais semelhante a um círculo, capaz de revestir uma superfície, ou seja, de revestir uma superfície, sem deixá-la lacunas. O natural é que os paralelepípedos tenham uma forma circular, mas a pressão dos paralelepípedos adjacentes o impede. É o mesmo fenômeno que ocorre nas colmeias, nas bolas de futebol ou nas conchas das tartarugas.

A Calçada dos Gigantes foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 1986 e Reserva Natural Nacional em 1987. Em uma pesquisa com os leitores do Times, foi escolhida como a quarta maravilha natural do Reino Unido. E ele também teve várias aparições na cultura popular. Por exemplo, foi a capa do quinto álbum do Led Zeppelin, Casas do Santo, em que as formações de basalto são tomadas por jovens em boa aparência em roupas menores. H.P. Lovecraft refere-se a ela em sua história de horror de Nas montanhas da loucura.