Os exoplanetas, em geral, podem conter grandes quantidades de água

O tamanho dos exoplanetas que são duas a quatro vezes o tamanho da Terra, provavelmente é porque a água é seu principal componente, de acordo com um novo estudo da Universidade de Harvard.

Ou seja, à luz desses resultados, planetas ricos em água seriam comuns.

Exoplanetas

O estudo é baseado na avaliação de dados de exoplanetas pelo Telescópio Espacial Kepler e a missão Gaia indica que muitos dos planetas conhecidos podem conter até 50% de água, que é muito mais do que 0,02% do teor de água da Terra.

Conforme explicado pelo pesquisador principal da Universidade de Harvard, Li Zeng:

O modelo indica que os exoplanetas que têm um raio de aproximadamente 1,5 x o raio da Terra tendem a ser planetas rochosos (cinco vezes a massa da Terra); enquanto aqueles com um raio de x2,5, o raio da Terra (com uma massa de cerca de dez vezes a da Terra) são provavelmente mundos aquáticos. Isso é água, mas não uma água comum como a que podemos encontrar na Terra. A temperatura da superfície deve estar na faixa de 200 a 500 graus Celsius. Sua superfície pode ser envolvida em uma atmosfera dominada por vapor de água, com uma camada de água líquida por baixo. Indo mais fundo, seria de esperar descobrir que essa água é transformada em gelo devido à alta pressão antes de atingir o núcleo rochoso sólido. A beleza do modelo é que ele explica como a composição se relaciona com os fatos conhecidos sobre esses planetas.

Além disso, o estudo indica que em torno de 35% de todos os exoplanetas conhecidos que são maiores que a Terra devem ser ricos em água. Este trabalho, que será apresentado na conferência Goldschmidt em Boston, é outro passo no estudo de exoplanetas, descoberto em 1992.