A moda dos vapores vaginais é inútil e também pode causar queimaduras

Banhos de vapor vaginal envolvem sentado em uma tigela fumegante de água que contém uma mistura de ervas. A prática ganhou popularidade em 2015, depois que a atriz Gwyneth Paltrow fará o backup como um método para limpar a vagina. Mas desde então, os médicos alertaram que o v-steam não é apoiado pela ciência e pode causar danos.

De fato, o vapor V pode causar queimaduras nos tecidos vaginais sensíveis se o vapor se aproximar demais do corpo, como sugere um novo estudo. Além disso, o vapor vaginal pode alterar o equilíbrio normal de bactérias na vagina, pois muitas delas são benéficas.

Um estudo de caso

A tendência de limpar a vagina com "vapor vaginal" traz riscos, como evidenciado pelo caso de uma mulher no Canadá que desenvolveu queimaduras de segundo grau após tentar esse tratamento.

A mulher de 62 anos foi diagnosticada recentemente com prolapso vaginal, e ele achava que o vapor vaginal poderia ajudar a tratar sua condição, de acordo com o relatório, publicado na edição de junho do Journal of Obstetrics and Gynecology Canada.

O prolapso vaginal é uma condição na qual os órgãos da pelve, como a vagina, o útero ou a bexiga, caem ou escorregam de seu local normal. Mas a tentativa da mulher de vaporizar a vagina a levou à sala de emergência, onde foi diagnosticada com queimaduras de segundo grau no colo do útero e nas membranas vaginais.

O relatório parece ser o primeiro caso documentado de queimaduras por vapor vaginal, segundo o autor do relatório, Magali Robert, do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Universidade de Calgary.