Esse novo tipo de sal de cálcio pode substituir o lítio nas baterias que armazenam energia solar e eólica

Um produto químico recentemente sintetizado pode pavimentar o caminho para a fabricação de baterias à base de cálcio, que poderia ser mais seguro e mais barato que os atuais modelos baseados em lítio.

As baterias de íons de lítio nos telefones celulares e outros dispositivos eletrônicos têm inúmeras desvantagens: às vezes pegam fogo e dependem de substâncias cada vez mais escassas e tóxicas, como o lítio e o cobalto.

Mineral barato

Atualmente, as baterias de íon de lítio são as mais usadas em veículos elétricos, mas os recursos minerais de lítio podem ser insuficientes no futuro para abastecer o mercado com essas baterias, que também contêm elementos tóxicos. Existem várias equipes de pesquisa no mundo que realizam estudos avançados há alguns anos para desenvolver baterias futuras baseadas em outros elementos que não o lítio, como sódio, magnésio, cálcio ou alumínio, mas o desenvolvimento ainda é muito difícil.

As baterias de ânodo feitas de cálcio, uma substância mais barata e mais abundante, poderiam ser mais sustentáveis ​​e mais seguras que as baterias de ânodo de lítio. Mas pesquisadores que trabalham com baterias de cálcio não possui eletrólito adequado, o meio através do qual a carga elétrica flui para a bateria. Isso requer testes com diferentes composições de sais e solventes na proporção ideal.

Zhirong Zhao-Karger, do Helmholtz Institute Ulm, na Alemanha, reagiu um composto de cálcio com um composto contendo flúor para criar um novo tipo de sal de cálcio. O material resultante conduzia eletricidade com mais eficiência do que qualquer eletrólito à base de cálcio até agora relatado. Também conduziu íons com eficiência em uma voltagem mais alta do que outros eletrólitos à base de cálcio.

Baterias à base de cálcio podem ser usadas em sistemas de escala industrial para armazenar energia eólica e solar.