Há cada vez menos racistas, sexistas e homofóbicos no mundo

Embora a mídia e alguns ativistas estejam determinados a mostrar apenas os exemplos negativos ou ver o copo meio vazio, a verdade é que há cada vez menos racistas, sexistas e homofóbicos no mundo.

Sabemos disso porque, desde 1981, uma rede mundial de cientistas sociais e políticos realiza pesquisas, realizando pesquisas nacionais representativas em quase 100 países, ou seja, pesquisas com mais de 150.000 pessoas. estatisticamente, cobrindo 90% da população mundial.

Pesquisa de Valores Mundiais

O Pesquisa de Valores Mundiais (WVS), como é chamada, nos permite alertar que os valores morais estão melhorando, como se um germe de prosocialidade muito poderosa estivesse nidificando em nós, especialmente nas nações mais desenvolvidas (América do Norte, Europa Ocidental e Japão) .

O WVS mede, observa e analisa: apoio à democracia; tolerância para com estrangeiros e minorias étnicas; apoio à igualdade de gênero; o papel da religião e mudanças nos níveis de religiosidade; o impacto da globalização; atitudes em relação ao meio ambiente, trabalho, família, política, identidade nacional, cultura, diversidade, insegurança e bem-estar do indivíduo. Conforme explicado pelo psicólogo cognitivo Steven Pinker em seu livro Em defesa do Iluminismo:

Os dados mostram que os países mais liberais também são, em média, mais instruídos, mais urbanos, menos frutíferos, menos consanguíneos (com menos casamentos entre primos), mais pacíficos, mais democráticos, menos corruptos e menos punidos pela criminalidade e por os golpes.

Isso explicaria também como é possível que, no contexto apropriado, nos tornemos tão sociáveis ​​que isso permita reduzir os homicídios em todo o mundo, como aponta o professor de história. Yuval Noah Harari em Homo Deus:

Enquanto nas sociedades agrícolas antigas a violência humana causou cerca de 15% de todas as mortes, durante o século XX a violência causou apenas 5% e, no início do século XXI, é responsável por cerca de 1% mortalidade global.

Assim, é possível, e isso é bastante razoável, que tenhamos evoluído psicologicamente para ser pró-social, como um lobo se tornando um cachorro, graças à pressão memética. E é por isso que vamos melhorar, apesar da mídia se esforçar para fazer uma colheita de cereja para mostrar apenas notícias negativas.