Diamantes identificados tão antigos quanto a Lua no manto da Terra

Escondido a 410 quilômetros de distância no manto da Terra, algures entre a crosta e o núcleo, suspeita-se que exista um reservatório de diamantes tão antigo quanto o nosso satélite natural, de acordo com um novo estudo realizado pela Universidade Nacional Australiana.

Esses diamantes estariam em uma grande reserva de rocha relativamente intacta desde a formação do planeta, a salvo da violenta atividade geológica e dos impactos extraterrestres que atingem a Terra.

Gás

Para identificar os diamantes não foram observados diretamente, mas através de traços geoquímicos. Especificamente, eles mediram isótopos de hélio contidos em diamantes super profundos trazidos à superfície por violentas erupções vulcânicas, para detectar os traços desse antigo depósito.

A maioria dos diamantes se forma entre 150 e 230 quilômetros abaixo da crosta terrestre, antes de serem derretidos na superfície. Ocasionalmente, alguns diamantes superprofundos (criados entre 230 e 800 quilômetros abaixo da superfície da Terra) são trazidos para a superfície e são diferentes dos diamantes normais. Conforme explicado pelo líder da pesquisa Suzette Timmerman:

Os diamantes são a substância natural mais difícil e mais indestrutível conhecida, por isso formam uma cápsula do tempo perfeita que nos dá uma janela para a Terra profunda. Conseguimos extrair gás hélio de 23 diamantes superprofundos da área de Juína, no Brasil. (…) Há dúvidas sobre a forma deste depósito; É um grande reservatório único ou existem vários reservatórios antigos menores? Onde exatamente está o depósito? Qual é a composição química completa deste depósito?